Arteterapeuta – Classificação Brasileira de Ocupações

Arteterapeuta – Classificação Brasileira de Ocupações

O arteterapeuta está na CBO – do Ministério do Trabalho do Brasil, desde o 31 de janeiro de 2013.

Um grande passo para o reconhecimento da Profissão!

A família 2263 – Profissionais das terapias criativas e equoterápicas foi publicada no site da CBO.

www.mtecbo.gov.br).

Num esforço conjunto de todas as associações que participam da União Brasileira de Associações de Arteterapia (UBAAT).

Sobre a “CBO – Classificação Brasileira de Ocupações. Por meio desta publicação o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE disponibiliza à sociedade a nova Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, que vem substituir a anterior, publicada em 1994.

Desde a sua primeira edição, em 1982, a CBO sofreu alterações pontuais, sem modificações estruturais e metodológicas. A edição 2002 utiliza uma nova metodologia de classificação e faz a revisão e atualização completas de seu conteúdo.

A CBO é o documento que reconhece, nomeia e codifica os títulos e descreve as características das ocupações do mercado de trabalho brasileiro. Sua atualização e modernização se devem às profundas mudanças ocorridas no cenário cultural, econômico e social do País nos últimos anos, implicando alterações estruturais no mercado de trabalho. (…)”
A inserção dos arteterapeutas no CBO, gerou a criação de uma nova família, 2263: Profissionais das terapias criativas e equoterápicas onde estão inseridos os:

Musicoterapeutas com o código: 2263-05 ,

Arteterapeutas: 2263-10 e os

Equoterapeutas :2263-15.

Os profissionais desta família de ocupações: “Realizam atendimento terapêutico em pacientes, clientes e praticantes utilizando programas, métodos e técnicas específicas de arteterapia, musicoterapia e equoterapia. Atuam na orientação de pacientes, clientes, praticantes, familiares e cuidadores. Desenvolvem programas de prevenção, promoção de saúde e qualidade de vida. Exercem atividades técnico-científicas através da realização de pesquisas, trabalhos específicos, organização e participação em eventos científicos”.

Profissão: ARTETERAPEUTA!

Para ser considerados arteterapeutas: é preciso formar-se em cursos reconhecidos pela UBAAT, com mais de 520 hs de aulas teóricas-práticas e equipe docente qualificado (respeitando as resoluções da UBAAT).
Atualmente no Brasil tem mais 2.000 trabalhos científicos sobre o tema e mais de 155 livros publicados no Brasil. Ao todo tem registro de mais de 2.000 arteterapeutas registrados nas associações regionais que conformam a UBAAT.

Os arteterapeutas podem trabalhar em espaços de saúde (prevenção, promoção de saúde e qualidade de vida) em espaços educacionais, empresas e instituições culturais.

Utilizam a arte e os meios expressivos com fins terapêuticos.

Podendo trabalhar em ateliês terapêuticos, clínicas e/ou participando de equipes multidisciplinares, juntamente com psicólogos, psiquiatras, médicos, pediatras, entre outros.

 

Angélica Shigihara

Membro do Conselho de Honra da UBAAT , pela AATERGS


Em Brasilia frente ao Ministério do Trabalho, após reunião no Ministério de Saúde. Representando a AATERGS junto a Regina Nascimento da ABCA, Paulo Campbello da Associação Arte e Medicina, Cristina Alessandrini da AATESP e Otília Souza da AMART,  Janeiro de 2012